07 dezembro 2011

Boneshaker



Num mix de mortos-vivos steampunk (tecnologia movida a vapor, dirigíveis e cientistas malucos caracterizam a obra assim) e ficção científica, Boneshaker, considerado um dos melhores livros lançados em 2009 (nos EUA pela Tor Books), o livro foi designado ano passado ao Hugo Awards, dos mais incitados prêmios de ficção-científica do mundo. Priest vem publicando uma sucessão de novelas na mesma atmosfera. E o sucessor de Boneshaker, Dreadnought, saiu também ano passado. O fato é, amigos, que Boneshaker será adaptado para as telas de cinema pelo John Holary Sheperd (Nurse Jackie).

Se descreve um povoado na desordenada e abatida em Seattle em 1863. A personagem Brian Wilkes labuta na central de purificação de água para manter Ezekiel, seu filho,  sozinha, numa região partida por um muro para isolar o centro, contaminado por uma névoa vinda do abismo. A mulher é viúva de um pesquisador, Leviticus Blue, que encontra, no subterrâneo, ao testar uma gigante escavadora, bolsas de um gás que transformam em zumbis os seres humanos. Quando os gases são liberados, a cidade é tomada por pavor até que foi construído um muro. Mesmo isolado, o vapor acomoda os lençóis d'água e a água das chuvas, o que exige rígida purificação da água a ser consumida.
Abalizada pelas obras de Blue, a viúva leva consigo ainda o passado de seu pai, um ministro que, no processo de evacuação da cidade, supostamente libertou presos que aguardavam por julgamento - o que fora apontado como crime. Brian não se mostra simpática ao encontro com um biógrafo, cujo intenção era escrever sobre a vida do pai, na ótica das classes baixas, um herói. Seu filho, Ezequiel, é um moço rebelde que sente falta de um patriarca por mais que goste de sua mãe e tenta comprovar que seu pai era um homem inofensivo e benévolo. Por isso, soma máscaras e mapas para cruzar o muro e inspecionar a contaminada parte da cidade.
A vida no interior não é como se esperava: há poucas pessoas e elas vivem subterraneamente sondando ar puro para a superfície. O vapor lesivo corrói qualquer coisa em que passa e rapidamente os rotters (como chamam os zumbis) se juntam em bandos.  O gás nocivo corrói tudo à sua passagem e os rotters(como são denominados estes zumbis) caçam rapidamente em grandes bandos. Ezequiel é guiado pela cidade por um homem que ele mal conhece e de intenções ruins. E sua mãe, percebendo seu desaparecimento, pede apoio a um grupo de piratas às buscas dentro da cidade para encontrá-lo.
Uma narrativa descomplicada mas ativa com zumbis. A história foca-se principalmente em Brian e Ezequiel mas durante a trama conhecemos os demais personagens, como por exemplo uma mulher com braços mecânicos ou homem de armadura que possui um atordoador que ajudam a combater os zumbis e Brian a encontrar Ezequiel.
O enredo tem poucos momentos de descontração e tem passagem bem tensas: os zumbis são rápidos, caçam em grande número e são extremamente fortes, um cientista dirige uma tropa no interior da cidade e as máscaras impedem que o gás nocivo seja respirado mas prejudicam a respiração normal...Equilibrado, bem estruturado e escrito.
O filme ainda não tem data prevista de estréia. 

Via Nos Geeks



Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário